Noiva de 29 anos era muito religiosa e teria prometido se guardar até a noite de seu casamento.

a-mulher-viu-sangue-nas-maos-do-medico-durante-o-exame_1252971

Uma mulher de 29 anos recebeu uma indenização de 2500 reais depois de “perder sua virgindade” na cadeira do ginecologista. O alegado incidente levou seu noivo a cancelar o noivado. Entretanto, uma médica foi despedida, depois que a acusação desta noiva ficou provada em tribunal. A mulher, que não está identificada, havia ido a uma consulta de rotina, na clínica estatal em Novosibirsk, na Rússia, onde foi vista por uma “jovem médica”, que teria cometido o erro.

Depois que o noivo cancelou o noivado, ela foi para o tribunal alegando que a referida médica havia rompido seu hímen, durante o check-up que ela fez. A jovem paciente, uma devota cristã, ficou enfurecida com o sucedido, e ficou pior quando viu seu noivado terminado. No tribunal, a mulher disse que suas crenças fizeram com que ela preservasse sua virgindade e esperasse até o casamento para ter relações sexuais, quando esse fato aconteceu.

Exame correu mal

Ela se consultou pela primeira vez com essa médica, e a mulher teve o cuidado de falar para ela que ainda era virgem. Durante a examinação, ela sentiu uma dor e viu “sangue nas luvas da médica”. Porém, a doutora teria falado que “estava tudo bem.

No entanto, como ela continuou se sentindo um pouco estranha, ela resolveu consultar uma outra médica em uma clínica particular para verificar as suas suspeitas. Foi aí que lhe disseram que o “hímen estava parcialmente rompido”.

A mulher ficou enfurecida com essa descoberta. “Eu chorei a noite toda e no dia seguinte, eu simplesmente não conseguia parar de chorar. Como ela poderia fazer isso? Eu nunca teria esperado que acontecesse desta maneira, que eu seria tratada de uma maneira tão terrível. Só Deus sabe o quanto sofri, assim como minha mãe”, revelou ela, em declarações citadas pelo jornal Mirror.

A mulher é muito religiosa e uma devota a Cristo, que pretendia permanecer virgem até a sua noite de casamento. “Esses são os meus princípios e eu queria mantê-los. Talvez isso fosse surpreendente para os médicos, mas eu disse-lhes imediatamente que eu não era casada e, portanto, eu não tinha sexo, porque eu acreditava que isso deveria acontecer após o casamento. Isto é o que a Bíblia diz”.

Noivo cancelou o noivado

Depois de toda sua tristeza, ela teve ainda que lidar com os danos emocionais causados pelo final de seu noivado. Alegadamente, o seu namorado não teria aceitado bem o sucedido, e poderia até ter duvidado de sua palavra.

Também por isso, a decisão do tribunal, dando razão para a mulher foi ainda mais importante, além de ser única no país. A advogada da vítima pediu uma indenização bem superior, mas o fato deles terem dado uma compensação, ainda que de 2500 reais apenas, foi importante. Afinal, elas ganharam o caso, em um país que está dando os primeiros passos nas indenizações por “danos morais”, como aconteceu com esta jovem.

“O fato é que este é o primeiro caso na Rússia quando um tribunal concede uma compensação por perda de virgindade em uma cadeira ginecológica”, revelou a advogada Tatiana Popova, satisfeita por ter ganho o caso. #sexualidade #Justiça

Mulher de 29 anos recebeu uma indenização de 2500 reais depois de “perder sua virgindade” na cadeira do ginecologista.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: