Morre Freud, o cãozinho que consolava famílias durante velórios no litoral de SP

O cãozinho Freud, que ficou conhecido por ter a missão de amenizar a dor da perda de entes queridos no cemitério vertical Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos, no litoral de São Paulo, morreu na noite desta quinta-feira (22). O cachorro, que ficou famoso no Brasil inteiro por meio das redes sociais, era da raça schnauzer e tinha 12 anos.

Freud alegrava pessoas de todas as idades, arrancava sorrisos e transmitia muito amor para dezenas de famílias em hospitais e no cemitério vertical. Sempre vestido de avental, com os bolsinhos cheios de cartões, o cãozinho levava mensagens lindas a todos os que vinham interagir com ele.

img_2487

A dona do animal, Victoria Girardelli, idealizadora do Dr. AuAu e que trabalha com pet terapia há 10 anos nos hospitais, foi quem resolveu levar Freud também para o cemitério em 2015.

Assim que partiu, a dona do Freud tirou o último cartão de mensagem para ela mesma e nele dizia a seguinte frase: “Aqueles que amamos nunca morrem, apenas partem para longe de nós”.

img_2495

O Pet Memorial, primeiro crematório de animais do Brasil e que pertence ao Memorial Necrópole Ecumênica, fez uma postagem nas redes sociais sobre a morte do cãozinho, onde várias pessoas relataram a ajuda de Freud em hospitais e cemitérios.

 

Morre Freud, o cãozinho que consolava famílias durante velórios no litoral de SP

Comentários

Comentários

Classificado como:    

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: